domingo, 25 de outubro de 2015

Hello, this is me, Depression

Você já teve a sensação de que nada na sua vida está dando certo? Que talvez você tenha tomado todas as escolhas erradas e que isso está impactando em todas as suas futuras escolhas? E que você percebeu que essa situação está te deixando, todos os dias, absurdamente triste por se ver tão sem rumo? Bom, prazer, o meu nome é Depressão.
Alguns acham que eu não existo, que não passo de um "termo médico" designado àqueles que estão tristes e precisam de qualquer explicação médica para a forma com que se sentem. Mas, na verdade, eu posso atingir qualquer um. Posso decorrer de uma situação traumática - da morte de algum parente seu, de um término de namoro... -, mas nem sempre eu tenho uma causa certa. Às vezes eu simplesmente apareço. Just like that and BUM, you're depressed.
A primeira coisa que vocês vão sentir é tristeza. Uma tristeza muito grande. Sentirão exatamente como o descrito acima: sem rumo. Então, vocês não sentirão mais vontade de fazer coisas que costumavam adorar fazer. Não sentirão vontade de sair com os amigos. Deixarão a vaidade de lado. Deixarão sua auto estima de lado. Querem uma dica? Não deixem isso acontecer. Se deixarem, eu vou me instalar.
E se eu me instalar, eu apenas ficarei mais intensa. Chegará um estágio em que vocês se sentirão tão sem rumo, que o único rumo que vocês acreditarão ser viável é o de tirar suas próprias vidas. Querem outra dica? Esse é mais um ponto em que vocês não podem deixar que eu me instale ainda mais em suas vidas. Mesmo que esse pensamento não se instale, isso passará pela cabeça de vocês pelo menos uma vez. And that's the turning point. Vocês precisam procurar ajuda.
O grande problema é que vocês vão acabar achando que ninguém poderá ajudá-los. Vocês não querem falar sobre seus sentimentos com ninguém. Vocês acham que será tempo em vão e que ninguém irá realmente se preocupar com vocês dessa forma. E é aí que vocês se enganam. Alguém sempre se preocupará com vocês, sempre desejará o melhor para vocês. Seus pais, por exemplo. Seus amigos. Seu/sua namorada/a. E se nenhum deles se preocupar com você, acredite: existe alguém que se preocupa de verdade, mas você ainda não sabe. Querem mais uma dica? Não esperem que alguém se preocupe com vocês, ajam por conta própria. Preocupem-se consigo mesmos, busquem ajuda, qualquer que seja. Consulte um psicólogo, tome um passe espiritual, reze um terço, desabafe com os seus amigos, escreva no seu blog. Ajude-se da melhor forma possível.
Sabe, a grande dificuldade de me tratarem é que muitas pessoas têm dificuldade de reconhecer que estão deprimidos, então não conseguem ver a necessidade de consultar um psicólogo ou psiquiatra. E, certamente, nem sempre eles são necessários, mas... Querem mais uma dica? Não cabe a vocês ter essa conclusão, cabe a eles. Então reconheçam suas dificuldades, sua situação, suas dores. Não deixe que elas tomem conta de vocês, caso contrário eu me instalo. E quanto mais tempo vocês passarem comigo, mais difícil será para eu ir embora.
Posso dar uma última dica? Se você leu esse texto, achou que se enquadra em todo esse relato, tire o telefone do gancho e marque uma consulta. Let's brace ourselves a goodbye.

Nenhum comentário:

Postar um comentário