sábado, 15 de agosto de 2015

Às vezes

Às vezes desejo nunca ter te conhecido. Mas com isso, eu abriria mão de muita coisa boa que já me ocorreu, e dos dois anos mais felizes da minha vida. Às vezes me vem uma raiva absurda de você, por eu sofrer tanto por você. Mas às vezes o carinho e o amor que eu sinto por você falam bem mais alto e eu sinto uma saudade grande, um aperto no peito e o nó entalar na garganta.
E tudo isso é por uma causa só: eu te amo muito. Não sei como serão meus próximos passos não tendo você ao meu lado como antes, e tê-la apenas como amiga. Dói muito pensar que tivemos um fim, quando eu desejava - e ainda desejo - que fôssemos para sempre. Dói pensar na dificuldade que vai ser controlar o impulso de abraçá-la sempre que a vir. Já me dói aos ossos controlar o impulso de não mandar essa mensagem, porque a gente precisa se afastar para ficarmos bem.
Tudo isso me dói tanto pelo simples motivo de eu continuar não querendo sentir saudades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário